Pages

domingo, 4 de outubro de 2009

TEXTOS CURSISTAS

FELIZES PARA SEMPRE

Programar um passeio para conhecer o município foi a única alternativa encontrada para que nossos alunos pudessem conhecer a realidade social. Nossa cidade é rica em acervo histórico e também foi presenteada com uma natureza de tirar o fôlego.
Durante nosso passeio paramos num vilarejo, estavam todos curiosos para conhecê-lo, no entanto como sempre a diretora não tinha tempo e essa era a primeira vez de sua presença...mesmo assim lá se foi ela para seu gabinete.
Os professores do Ensino Fundamental e Estadual juntamente com os alunos continuaram com seu projeto e foram passando por lugares maravilhosos.
No final do passeio todos estavam realizados pelo simples fato de ensinar e aprender novos conhecimentos e novas situações viveram momentos felizes como se todos estivessem vivendo um conto de fadas. Assim ficaram felizes para sempre.

KIKA e SUÉLEN


UM CASO DE PAPAGAIOS PIRATAS

A muitos e muitos anos atrás, quando ainda nem chovia em Itapoá, colocamos alguns pertences em nossa mala: um chapéu, 2 botinas, 1 panela, 1 frigideira com ovo e tudo e um cachecol. Fomos até a livraria e compramos nossa passagem de trem. Estávamos felizes. Íamos nós e os alunos da Escola Euclides da Cunha. Subimos a Serra e, 48 horas depois, chegamos lá.
Quando chegamos para participar do curso Gestar II, notamos que não havíamos levado borracha para apagar os nossos erros. Tivemos que aprender a escrever tudo corretamente.
Nós que nunca havíamos aprendido nada – nem mesmos a arrumar a mala – aprendemos a aprender.
Agora já sei contar histórias!

Edinéir e Rubens


OS SONHOS DE UMA MENINA

Quando Laura sonhava
Com um futuro brilhantes
Ainda era menina
E a alegria era seu semblante
Seus sonhos eram encantados
Cores, flores e amores
O tempo foi passando
E a menina foi crescendo
E de tudo foi fazendo
Tecendo muitos chapéus
Suas roupas eram leves
leve como o vento que ia aos céus
Não esqueça Laura o Tempo
Ele passa e não volta
A mãe sempre dizia
Mas de menina foi a moça
E o tempo foi passando
De moça virou mulher
E então sonhava como dava
Um amor nunca encontrou
Mas esperança sempre tinha
e sabia que um dia Encontra-lo-ia
Então perto de um castelo
Ela achou-se um trapo velho
E com tristeza desaminou
Lembrava dos conselhos
Que ouvia e o desespero
Lágrimas dos olhos brotou
E na quarta-feira 30
Em outubro desse ano
Um lindo amor brotou
No coração seu esquecido
Um velho encantado não vencido
Que amor nela semeou
Ah! reviveu nossa menina!
A moça!
A mulher!
E a velha-menina-moça
Casou-se com seu velho amor
E o padrinho um livreiro
De presente deu-lhe
Um livro que relatava
Um lindo sonho de amor!


Márcia Partala e Sonia Zagonel




A COROAÇÃO

Em uma época muito distante, onde viviam apenas príncipes e princesas, no reinado de Itapoá estava para acontecer um fato histórico naquela região.
Este acontecimento não reuniria apenas os príncipes e princesas, aconteceria um episódio de extrema importância para a festa que seria a coroação.
Neste dia a coroa do rei Paulo passaria para seu filho João como mandava a tradição.
Para que a festa de coroação acontecesse conforme os costumes, fazia-se necessário a presença de uma rainha, pois a mesma já havia falecido. Então o príncipe lembrou-se da velha Josefa que o tinha criado.
Velozmente foi até a floresta convidá-la para participar da sua coroação. Chegando lá se deparou com uma linda moça e lembrou-se que a mesma tinha sido criada juntamente com ele no castelo.
O príncipe ficou encantado com a beleza da moça e a convidou para participar da festa de coroação junto com a velha Josefa. E todos ficaram felizes.

Beth, Ana Josélia, Marta e Rosemeri

TEXTOS CURSISTAS

FELIZES PARA SEMPRE

Programar um passeio para conhecer o município foi a única alternativa encontrada para que nossos alunos pudessem conhecer a realidade social. Nossa cidade é rica em acervo histórico e também foi presenteada com uma natureza de tirar o fôlego.
Durante nosso passeio paramos num vilarejo, estavam todos curiosos para conhecê-lo, no entanto como sempre a diretora não tinha tempo e essa era a primeira vez de sua presença...mesmo assim lá se foi ela para seu gabinete.
Os professores do Ensino Fundamental e Estadual juntamente com os alunos continuaram com seu projeto e foram passando por lugares maravilhosos.
No final do passeio todos estavam realizados pelo simples fato de ensinar e aprender novos conhecimentos e novas situações viveram momentos felizes como se todos estivessem vivendo um conto de fadas. Assim ficaram felizes para sempre.

KIKA e SUÉLEN


UM CASO DE PAPAGAIOS PIRATAS

A muitos e muitos anos atrás, quando ainda nem chovia em Itapoá, colocamos alguns pertences em nossa mala: um chapéu, 2 botinas, 1 panela, 1 frigideira com ovo e tudo e um cachecol. Fomos até a livraria e compramos nossa passagem de trem. Estávamos felizes. Íamos nós e os alunos da Escola Euclides da Cunha. Subimos a Serra e, 48 horas depois, chegamos lá.
Quando chegamos para participar do curso Gestar II, notamos que não havíamos levado borracha para apagar os nossos erros. Tivemos que aprender a escrever tudo corretamente.
Nós que nunca havíamos aprendido nada – nem mesmos a arrumar a mala – aprendemos a aprender.
Agora já sei contar histórias!

Edinéir e Rubens

sábado, 3 de outubro de 2009

CONTINUAÇÃO 10° ENCONTRO

Dando seqüência a Tp4 realizamos nesse dia uma grande discussão a respeito do papel da escola no processo da leitura e escrita. Durante a discussão ficou evidente a preocupação dos professores de língua portuguesa em suas unidades escolares, pois segundo seus relatos, os mesmos sentem constrangido quando os professores das outras áreas do conhecimento os coloca em xeque quando os problemas apresentados pelos alunos diz respeito a prática da leitura e escrita. Durante as oficinas um cursista pediu a palavra para apresentar uma situação vivenciada por ele e que foi solucionado com a colaboração e envolvimento de todos os envolvidos no processo ensino aprendizagem. O resultado dessa união está sendo extraordinário. Colocou que no início do ano letivo uma de suas turmas de 6° ano por terem passado o ano passado por vários professores chegaram ao sexto ano semianalfabetos proporcionando a ele e a todos os envolvidos no processo grande angústia e em alguns momentos vontade de desaparecer, pois os problemas apresentados eram extremamente preocupantes. Durante esse primeiro bimestre perdeu várias noites de sono preocupado em articular uma maneira para resolver o problema daquela turma. Esperou a reunião pedagógica e apresentou o problema aos professores e equipe pedagógica e juntos resolveram assumir o problema e esperar para observar os resultados. Hoje ele pode falar com convicção que quando todos assumem o problema grandes resultados são alcançados. Daquela turma de semianalfabetos que mal conseguiam organizar algumas linhas de produção textual hoje fala com um sorriso estampado o resultado alcançado, pois os alunos hoje produzem texto com aproximadamente 30, 40 linhas num ritmo harmonioso, não apresentam medo de escrever, haja vista que, passaram a confiar em suas capacidades. Segundo o relato do professor isso só foi possível porque todos vestiram a camisa e não passaram a bola para o professor de português que se equacionarmos é impossível uma única pessoa resolver um problema que é da escola e não do professor de português. Durante a oficina ficou claro que em todas as unidades escolares a culpa das dificuldades no que tange a leitura e escrita recaí para o professor de língua portuguesa gerando uma grande angústia para os docentes. Quando falamos em produção de texto deixamos claro que a escola possui como papel fundamental que é auxiliar o aluno a desenvolver sua competência em produção de texto e isto é: papel da escola, competência do professor, objetivo do currículo, necessário a escolar. A escrita não é apenas inspiração... O processo de escrita requer do escritor: conhecimentos prévios, leituras diversificadas, investigação sobre o assunto abordado, reconhecimento da forma e estrutura do texto a ser escrito, trabalho e dedicação no processo de construção do texto.
E assim nossa discussão foi tomando sabor quando todos ficaram cientes que o professor de português não é o único responsável pela leitura e escrita, mas sim é responsabilidade da escola. E, do ponto de vista etimológico, texto significa tecido, e ler se origina de lege cujo sentido é ato de colher, recolher, de juntar, então “o leitor é aquele tecido, os fios que, tecidos, vão constituir suas histórias de leitura” (GURGEL, 1999:
209).

TEXTOS PROFESSORES

O TEMPO

O tempo é surpreendente e nos dá a possibilidade de realizarmos todos os nossos sonhos ou não, bastando para que esses se realizem a busca por aquilo que desejamos. Para alcançarmos nossos objetivos precisamos agora no presente adquirir toda a bagagem necessária para que todos os nossos sonhos um dia se tornem realidade. Dependendo de nossa busca poderão permanecer em apenas em nossa memória. Todos na vida temos um ideal, um caminho a seguir, mas a vida nos impõe barreiras que devemos superar.
Assim as luzes da sabedoria estão em nossas mentes basta apenas sabermos utilizá-las para alcançarmos nossos objetivos.

Nair, Renata, Tatiana e Marta


LEMBRANÇAS


Ontem ao passar pela ponte,
Da grande cidade em que moro
lembrei...
lembrei do passado
passado em que vivia
naquela linda cidade.
Cidade com um lindo mar
onde ficava a olhar
os pássaros e lindas gaivotas
na busca por seu alimento.
Quando à noite caia
A lua cheia com seu luar deslumbrante refletia na varanda
ao olhar para o cosmo as estrelas brilhavam
as nuvens estavam mais belas
sentia uma energia impulsionando meu eu
e pensava como a vida é bela
as lembranças não se apagam
lembranças jamais esquecidas
dos momentos vividos
naquela pequena cidade
cidade dos meus sonhos.
De repente senti
uma mão pairar
sobre meu ombro
e assim, despertei.

Carol, Ana Josélia, Beth e Rubens




A LUZ DA LUA


Na imensidão da noite a terra é iluminada pela luz do lua
vejo os namorados a sonhar
na luz do lua
a moça beijava o rapaz
que começava a cantarolar
cantigas de amor para alegrar.
Me vejo nessa solidão
sem ter você para esperar
Você se foi sem avisar
O que me resta neste momento
é chorar...


Maria Lucia e Suélem


O INESPERADO

O final se semana seria maravilhoso se nada disso tivesse acontecido. Eu e um casa de amigos fomos para uma pousada a beira do rio Tibagi em busca de passar momentos agradáveis e descontraídos longe do barulho ensurdecedor da metrópole.
Na sexta-feira à noite iniciamos nossa viagem, bastante animados e esperançosos de que o passeio reacenderia as energias para retornarmos as atividades rotineiras, as vezes tão desgastantes.
Um pouco cansados da viagem, mas muito ansiosos por ver a manhã nascer com um sol radiante, brisa refrescante e o cheiro de verde, muito verde que há muito não sentíamos. Cansados, mas muito enebriados pelas beleza do lugar fomos dormir.
De madrugada aconteceu o inesperado!
O vento começou uivar ferozmente, era assustador. Os raios cortavam os céus e traçavam monstros brilhantes. O estrondo era retumbante e tremia, sacudia tudo e todos.
Aquilo era o fim dos tempos, agarrávamos uns aos outros. Homens e mulheres unidos balbuciavam orações jamais ouvidas antes. Era a treva!
De repente surgiu da escuridão um grito indefinido.
Céus! É um fantasma!
Não é uma alma penada!
O que aconteceu não se descreve, aquela pousada veio abaixo. Nós e os outros clientes rompemos porta afora, aos tombos, aos berros. Os que ficaram no saguão eram aqueles que tremiam e não saiam do lugar. Chuva grossa e aquele povo espalhado pelo jardim. Alguns chegavam a pular o muro. Pedras moviam-se.
A tempestade foi acalmado e e então ressabiados começamos a surgir dos esconderijos. Todos atônitos.
Descobrimos que o estranho vulto era a dona da pousada trazendo palma benta para queimar e acalmar a tempestade.
E acalmou!


Partala, Beth e Dinarci

vida

vida

Benvindo

Sem sonhos, a vida não tem brilho.
Sem metas, os sonhos não tem alicerce.
Sem prioridades, os sonhos não se tornam reais. Sonhe, trace metas, estabeleça prioridades e corra riscos para executar seus sonhos. melhor é errar por tentar do que errar por se omitir! Não tenha medo dos tropeços da jornada. Não se esqueça de que você, ainda que incompleto foi o maior aventureiro da história.

Pensar

Pensar, como é bom pensar. Paro para pensar e ouço meus pensamentos. Muitas vezes diante dos problemas que vivenciamos no nossos cotidiano não sabemos o que escrever ou talvez não gostamos de registrar nossos pensamentos. Nos pegamos mergulhados em nossos pensamentos e questionamos quem sou eu? Dúvida estas nem sempre passíveis de respostas. Olhamos para o lado e vemos pessoas pensando, porque será que pensam tanto? Queria olhar para o horizonte e ter todas as respostas não respondidas. Nossa quantos pensamentos divergentes. Escutamos ruídos que, muitas vezes nos impossibilitam de pensar. Pensar num mundo diferente no qual o ser humano coautor do universo pudesse se amar mais harmonizando com o meio ambiente e consequentemente se humanizar mais consigo mesmo. Temos tantos medos e esses medos nos faz mergulhar num crepúsculo sem encontrarmos a saída. A vida é bela, vivemos momentos de grande emoção numa simbiose de sentimentos que se entrelaçam nos possibilitando viver momentos de alegria ou a tristeza.

Precisamos ter emoção de viver a vida, pois já ganhamos duas grandes batalhas: a disputa do espermatozóide e o nosso nascimento. Nossa não sabíamos que nessa vida enfrentaríamos batalhas tão difíceis, mas como já fomos vitoriosos conseguimos enfrentá-los e ganharmos essas batalhas. Temos que ter em mente que nossa vida é maravilhosa, precisamos saber valorizá-la e só assim poderemos ter um sentido mais absoluto do viver.

Alguns escrevem outros apenas pensam... será que tem medo de ouvir o seu coração e descobrir as grandes catedrais que ali habitam. Todas as nossas dificuldades nos impedem de organizar nossos pensamentos que ficam como uma teia que não conseguiu de fechar. Gosto tanto de trabalhar com as palavras, elas são significativas podemos jogar com elas. Vida louca, louca vida. Quantas vezes em nossos pensamentos permitimos que a tristeza e a angústia invade nosso eu nos deixando debilitados? Alguns momentos queríamos gritar para todo mundo para que ouvissem o que temos a dizer. Quantos sentimentos, quantas emoções. É na mistura de sentimentos como o amor, a sabedoria o discernimento, a alegria, a tristeza, a gratidão, a doação, a caridade, o conhecimento que nos construídos como ser humano. Cheios de contrastes. Sorrisos encantadores nos faz vibrar cheios de emoção. O tempo passa tão rápido e, quando percebemos já passou.


Itapoá-Sc

PROJETO


PROJETO


O professor cursista deverá desenvolver um projeto para a finalização do programa, de preferência interdisciplinar, a ser implementado em sala de aula, apresentando a estrutura a seguir:

Temática: definir o tema que possa desenvolver os conhecimentos adquiridos no programa e seja contextualizado à realidade de sala de aula.

Problemática: definir situação-problema a ser focada mediante seu desenvolvimento.

Fundamentação teórica: definir conceitos e as teorias que darão base a todas as ações desenvolvidas.

Objetivos: definir quais são os objetivos gerais e específicos a serem alcançados com a sua implementação.

Cronograma: definir o cronograma de cada etapa de desenvolvimento e os seus respectivos prazos.

Equipe: definir as áreas de conhecimento envolvidos, assim como os educadores participantes e as suas respectivas atribuições.


Avaliação: definir o processo de avaliação e os instrumentos a serem utilizados.






Secretaria de Educação e Professores Formadores

Secretaria de educação, coordenador do Curso Gestar

oficina-seção 9 e 10 - TP3

Intervalo-Coffee break

ENVELOPE DA LINGUAGEM

ENVELOPE DA LINGUAGEM

Elaboração de atividade

CRONOGRAMA DAS AULAS DO GESTAR II - ITAPOÁ/SC



01/04/2009 -

Abertura do Curso Gestar;

Eduardo e Valci falam sobre a importância de fazer o curso;

Leitura do guia geral;

Entrega e conferência dos materiais.

15/04/2009

seção coletiva I

unidade 9/10 do TP 3 – duração 4 horas

29/04/2009

Apresentação dos resultados obtidos da oficina

13/05/2009

Seção coletiva I I

unidade 11/12 do TP 3 – duração 4 horas

27/05/2009

Apresentação dos resultados obtidos da oficina

10/06/2009

Seção coletiva III

unidade 13/14 do TP 4 – duração 4 horas

24/06/2009

Apresentação dos resultados obtidos da oficina

08/07/2009

Seção coletiva IV

unidade 15/16 do TP 4– duração 4 horas

15/07/2009

Apresentação dos resultados obtidos da oficina

05/08/2009

seção coletiva V

unidade 17/18 do TP 5 – duração 4 horas

19/08/2009

Apresentação dos resultados obtidos da oficina

02/09/2009

seção coletiva V

unidade 19/20 do TP 5 – duração 4 horas

16/09/2009

Apresentação dos resultados obtidos da oficina

30/09/2009

Seção coletiva VIII

unidade 1/2/3/4 do TP 1 – duração 4 horas

14/10/2009

Apresentação dos resultados obtidos da oficina

28/10/2009

Seção coletiva IX

unidade 5/6/7/8 do TP 2 – duração 4 horas

11/11/2009

Apresentação dos resultados obtidos da oficina

25/11/2009

Seção coletiva IX

unidade 21/22 do TP 6 – duração 4 horas

09/12/2009

Apresentação dos resultados obtidos da oficina

16/12/2009

seção coletiva VI

unidade 7/8 do TP 5 – duração 4 horas


cronograma do Gestar II- LP

CRONOGRAMA DO CURSO



QUADRO DEMONSTRATIVO CARGA HORARIA DO PROGRAMA – MÓDULO I E II

1. ESTUDOS INDIVIDUAIS



2. ESTUDOS COLETIVOS

OFICINAS

24 UNIDADES DOS TPS (5 HORAS PARA CADA UNIDADE)


16 OFICINAS DAS UNIDADES

2 OFICINAS INTRODUTÓRIAS

2 OFICINAS DE AVALIAÇÃO

(4H CADA OFICINA)

120 H



80 H


3. LIÇÃO DE CASA OU SOCIALIZANDO O CONHECIMENTO

12 UNIDADES DOS TPS (5 H CADA UNIDADE)

60 H

4. ELABORAÇÃO DO PROJETO

DO INÍCIO AO TÉRMINO DO CURSO

40 H

TOTAL DE HORAS – 300 H


Cursistas Gestar II - Língua Portuguesa

Cursistas Gestar II - Língua Portuguesa
Vocês são um sucesso. Beijos

Professora Tamar

Professora Tamar
Você é um sucesso!